Uso excessivo de celular pode fazer mal para coluna

 

 

 

 

Vivemos constantemente conectados ao mundo virtual. Temos acesso à comunicação instantânea, músicas, fotos, internet e redes sociais na palma das mãos com os tão populares smartphones. Com isso, cada vez mais surgem complicações que o uso frequente dos aparelhos pode trazer para a coluna. Tais complicações são dores cervicais relacionadas ao mau posicionamento da cabeça ao usar o celular. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial têm, teve ou terá dores nas costas provocados por problemas de coluna e postura errada.

De acordo com o órgão, ao abaixar para mexer no celular, a cabeça fica em um ângulo de 60 graus, o que faz com que ela fique bem mais pesada, ocasionando não só o prazer tecnológico, mas outros danos no pescoço e na coluna. “A postura correta é fundamental para evitar o problema. A nossa coluna vertebral apresenta curvaturas fisiológicas em cada nível. Temos a lordose cervical, a cifose torácica e a lordose lombar, dando à coluna o aspecto da letra S”, explica.

Além dos efeitos causados na estética, os problemas e dores na coluna associados ao uso excessivo de dispositivos móveis já são considerados uma epidemia global, segundo OMS. Enquanto a média mundial de dor crônica atinge 35% das pessoas, no Brasil os dados são mais preocupantes, já que esse número cresceu para 37%.

Ainda segundo a OMS, o número de consultas médicas aumentou cerca de 40% nos últimos anos, principalmente entre pacientes jovens, com queixa de dor cervical. Tipicamente, a incidência dessa queixa aumenta com a idade, mas cada vez mais jovens têm relatado esse desconforto nos consultórios.

As mãos também podem sofrer com o uso constante dos celulares. Em 2011, muito se falou a respeito da síndrome do ‘Blackberry thumb’, também conhecida como síndrome de Quervain, da qual o paciente relatava dor na mão e dormência ou dificuldade para escrever devido a uma inflamação do tendão, conhecida como tenossinovite radial estiloide.

DORES

A Lombalgia é a dor mais frequente de coluna. É caracterizada por dor na região lombar. Nos casos agudos, é normalmente confundida com um “mau

jeito” nas costas. Quando crônica, o incômodo é menos intenso, mas quase permanente.

A dor ciática geralmente é uma dor que irradia na distribuição do nervo ciático. Portanto, a ciática é um sintoma e não uma doença propriamente dita. Entre as causas da dor ciática destacam-se a hérnia de disco, protrusão discal, abaulamento discal, estenose da coluna vertebral, espondilolistese, Síndrome do piriforme, fratura na coluna, cistos, tumores e infecções.

Existem também os osteófitos, que são ossos “extras” em localizações não habituais. São popularmente conhecidos como “Bico de Papagaio” e podem ser formados por um osso normal que deformou na tentativa do nosso organismo de diminuir o movimento excessivo entre as articulações (instabilidade anormal).

CUIDADOS

De acordo com os especialistas, devemos sempre levantar a cabeça – o ideal é que o maxilar forme um ângulo de 90 graus com o pescoço. Ao invés de se abaixar para olhar o celular, levante o aparelho na altura de seu rosto.

Alongue-se – de duas a três vezes por dia, faça movimentos de alongamento para o pescoço. Levante a cabeça, olhando para o teto, e volte à posição de 90 graus. Repita o movimento por dez vezes.

Fortaleça seus ombros – exercícios de pilates e ioga são excelentes para fortalecer os ombros e a região da cervical. Músculos fortes são menos suscetíveis a problemas de postura e dores.

Caminhe – a caminhada, corrida e outras atividades aeróbicas, se praticadas com frequência, ajudam a melhorar a postura.

Liberte-se – é inegável que o celular é fantástico, mas que tal usá-lo sem excesso? Prestar mais atenção ao seu redor, conversar mais com os amigos e com a família é algo insubstituível.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tribuna da Bahia

 

 

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.