Twitter perde seguidores no Q4 2018, mas mostra que continua crescendo

A palavra “sucesso” no Twitter pode ter uma conotação um tanto quanto diferente de outras gigantes da tecnologia ou entre as rede sociais. Isso porque, embora seja uma plataforma muito popular, ela só lucrou pela primeira vez em sua história no ano passado e normalmente fica atrás dos concorrentes em termos de visitação. No mais recente relatório, sobre o quarto trimestre de 2018, a companhia revelou sua base de usuários diários, algo que nunca tinha acontecido.

“Twitter diz que vem “perdendo” muitos usuários por causa das muitas exclusões de contas falsas, bots e spammers.”

O documento mostra que o microblog perdeu seguidores, mas continua crescendo — e a abordagem para uma nova métrica tem tudo a ver com isso, falamos sobre isso mais abaixo. Bem, os executivos dizem que os usuários mensais caíram de 326 milhões para 321 milhões no Q4 2018. A justificativa para essa queda teria sido a bem-sucedida caça às contas falsas, aos trolls e bots e tudo o mais que possa tornar a experiência mais tóxica e desconfortável.

O número de usuários diários ficou em 126 milhões no quarto trimestre — foram 124 milhões no Q3 2018 e 115 milhões no mesmo período do ano anterior. Ao mostrar essa contagem, fica mais fácil (para o Twitter) ilustrar a receita de US$ 909 milhões nos últimos três meses do ano passado, o que representa alta de 24% na relação com os US$ 731 milhões do Q4 2017.

TWITTER

Desse montante, quase 90% da verba vieram da publicidade. Excluindo certas despesas, como remuneração de ações de funcionários, o Twitter ganhou US$ 0,33 por papel na Bolsa de Valores, acima da estimativa média de US$ 0,25 por papel. “Este foi o melhor desempenho financeiro de todos os tempos tanto para o trimestre quanto para o ano”, comemorou o CEO Jack Dorsey.

Mudança de métrica favorece o Twitter

A partir de agora, o Twitter só deve fornecer os números dos chamados “usuários diários monetizáveis” — ou mDAU, em inglês. “DAU monetizáveis são usuários que fazem login e acessam em qualquer dia através do Twitter.com ou de nossos aplicativos que podem exibir anúncios”, explica o relatório do Q4 2018.

 Segundo Dorsey, outras empresas compartilham métricas mais abrangentes, que incluem as pessoas que não estão vendo seus anúncios. “Queremos alinhar nossas partes interessadas externas em torno de uma métrica que reflita nossa meta de agregar valor às pessoas no Twitter todos os dias e monetizar esse uso.”

“Projeção de receita para o Q1 2019 fica entre US$ 715 milhões e US$ 775 milhões”

Muita gente acha que essa alteração na apresentação seja uma espécie de “maquiagem estratégica” da realidade, algo que possa agradar mais os investidores do que a opinião pública. Independente disso, fato é que a rede social, mesmo com queda de seguidores, mantém-se lucrativa pelo quinto mês consecutivo e busca um ambiente menos tóxico e dominado por perfis fakes — o que leva a uma previsão de receita entre US$ 715 milhões a US$ 775 milhões no fechamento do primeiro trimestre desta temporada.

TecMundo

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.