Sangramento e feridas são sinais de alerta para tratamento emergencial das varizes

 

De tão recorrente, sobretudo entre mulheres e negros, as famosas varizes acabam sendo negligenciadas pela população. A busca por atendimento médico e tratamento adequado, geralmente, só ocorre quando o problema se agrava – o que dificulta o prognóstico e aumenta a incidência de dor e incômodo para o paciente. A patologia vascular pode acarretar dificuldades para a realização de atividades simples do cotidiano, como andar e trabalhar, principalmente aquelas com demanda de longos períodos em ortostase (atividades em pé, por exemplo). Estima-se que cerca de 80% da população mundial pode apresentar a doença de forma leve ou moderada. No Brasil, a realidade segue o mesmo panorama, o que causa preocupação entre os especialistas da área.

As varizes, na realidade, são veias superficiais dilatadas e tortuosas, que perderam sua principal  função: o retorno venoso do sangue dos membros inferiores, em direção ao coração. Além do incômodo estético provocado, sintomas como cansaço, peso, câimbras, queimação, pontadas, dores, coceira, inchaço, formigamento e “pernas inquietas” podem estar presentes na vida dos portadores de varizes. “Estes incômodos, normalmente, melhoram com o repouso e a elevação das pernas. Mas, a recorrência é comum, ao longo do dia, piorando no período vespertino ou noturno”, esclarece a angiologista do Plano Ambulatorial Boa Saúde (integrante do Grupo Vitalmed), Tatyanny Leite.

Ainda, segundo a especialista, negligenciar os cuidados só faz piorar o quadro e agravar a situação do paciente. Dentre as complicações, a médica destaca a varicorragia (hemorragia), que ocorre quando uma veia varicosa aumenta tanto o seu tamanho, a ponto de causar erosão da pele que a recobre, ruptura do vaso e sangramento abundante. As medidas iniciais para conter o sangramento devem ser a elevação das pernas por 5 a 10 minutos e compressão do local. Após isso, é necessário que o paciente seja encaminhado para avaliação médica imediata.

Complicações

O sangramento  que ocorre com a ruptura das varizes assusta, mas não é suficiente para deixar o paciente em risco iminente de morte, desde que tratado adequadamente em tempo hábil. Outras complicações encontradas nos portadores de varizes, de acordo com Tatyanny Leite, são: hiperpigmentação da epiderme, alterações locais da pele e do tecido celular subcutâneo (eczema de estase e dermatolipoesclerose), úlcera venosa de estase e trombose da variz, mais conhecida como flebite – podendo resultar em uma trombose venosa profunda. O tratamento precoce das varizes é importante para evitar a progressão da doença e evitar o desenvolvimento das suas complicações,  que podem levar a incapacidade laboral do paciente ou, até mesmo, risco de morte – nos casos em que evolui para uma embolia pulmonar secundária à trombose venosa profunda.

 

 

 

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.