Sabemos o que hackers planejam em 99% das vezes, diz especialista

hacker-smartphone

 

São Paulo — Rick Howard tem um trabalho curioso: ele é chefe de segurança digital de uma empresa de segurança digital, a Palo Alto Networks. Em conversa com EXAME, Howard falou sobre seu cargo e a situação atual da segurança digital. Veja os melhores momentos da conversa abaixo.

EXAME: Como é cuidar da segurança de uma empresa de segurança? Isso traz algum desafio adicional?

Rock Howard: Essa é uma ótima pergunta (risos). É um trabalho bastante interessante. A diferença é que em trabalhos anteriores, eu era o expert em segurança de toda a empresa. Aqui na Palo Alto Networks, todos são especialistas em segurança. Um aspecto interessante é que todos têm opiniões sobre como esse aspecto deveria ser abordado por nossa própria empresa.

De forma geral, governos, empresas e as pessoas se preocupam o suficiente com segurança digital?

Eu acredito que a sociedade já esteja alerta sobre os problemas relacionados a segurança digital. Constantemente vemos notícias sobre problemas relacionados a esse assunto. Mas essa conversa, em geral, é bastante difícil. Segurança é uma das últimas coisas na qual muita gente pensa. A grande maioria quer ver isso longe da frente delas.

Infraestrutura de cidades estão vulneráveis a hackers?

Isso esbarra em um assunto sensível: o fato de que os governos normalmente trabalham com orçamentos curtos. Mas isso tem mudado. Do ponto de vista de segurança, é cada vez mais fácil comprar ou montar plataformas que façam ligações entre serviços diferentes trazendo segurança.

Hackers sempre parecem ter um truque novo. Ao mesmo tempo, a indústria de prevenção de ataques avança sem parar. Estamos mais, menos ou tão seguros quanto há cinco anos?

Esse trabalho é quase como um jogo de gato e rato. Dentro da comunidade de segurança, geralmente sabemos no que os hackers estão trabalhando em 99% das vezes. Muitas vezes, o trabalho dos criminosos é de reciclar técnicas já usadas.

Mas casos como de ransomware estão ganhando força.

Ransomware estão por aqui há 15 anos. A questão é que ele virou algo lucrativo faz pouco tempo. Os ataques são focados em pessoas comuns, criptografando os dados e exigindo um pagamento em moedas digitais. Antes, era preciso tentar roubar números de cartão de crédito, que era como eles ganhavam dinheiro. Já o ransomware permite que se faça bastante dinheiro rapidamente. É por isso que vemos casos do tipo aumentando.

 

EXAME

Os comentários estão fechados.