Rui garante participação de Lula na eleição em Salvador

 

 

 

 

O governador Rui Costa (PT) se mostrou confiante em ter a presença de Lula nas disputas eleitorais não só na capital baiana, como também em outros municípios que possuem candidatos petistas ao pleito. Em sua última conversa com o ex-presidente, o baiano disse que ele se mostrou “empolgado” e “muito determinado” a participar das campanhas. “Ele está muito empolgado, muito determinado a participar não só aqui na Bahia, não só da major, mas de outras campanhas. Tem outros candidatos do PT, ele deve gravar para eles, deve aparecer onde tem TV. Acredito sim, que ele deve participar”, acredita Rui. A presença de Lula, aliás, servirá para apaziguar os ânimos dentro da agremiação.

Em Salvador, uma crise na legenda se instalou depois que o governador Rui Costa resolveu, com o aval do próprio Lula, filiar a major da Polícia Militar Denice Santiago para que ela seja a candidata. A proposta revoltou os outros quatro pré-candidatos que já tinham se apresentado para a prévia: Vilma Reis, Juca Ferreira, Fabya Reis e Robinson Almeida. Os dois primeiros, inclusive, se recusam a tirar seus nomes no páreo.

Um dos principais nomes do PT na Bahia, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli chegou ao ponto de enviar uma carta à direção municipal dizendo que a major “não tem tradição de luta nos movimentos sociais, não tem militância partidária e será uma expressão da corporação da Polícia Militar”.

Questionado pela reportagem sobre o assunto, Gabrielli avalia não é o momento para que seja apoiada uma “militarização da política” e aproveitou para reiterar o apoio à Vilma Reis, socióloga e militante petista e dos Direitos Humanos.

“Eu, pessoalmente, não apoio a Major, não porque tenho nada contra pessoalmente, mas, nesse momento de militarização da política, temos que ficar contra”, disparou na entrada do lançamento do Programa de Governo Participativo (PGP), no último sábado, na Faculdade de Arquitetura da UFBA. A ocasião foi a primeira grande prova de fogo de Denice diante da militância. A fala de Gabrielli também corrobora com a informação que circula nos bastidores de uma certa rivalidade entre Wagner e Rui, com o primeiro supostamente incitando a militância contra Denice. O ex-gestor já declarou que considera Wagner o melhor nome para tentar a suceder Rui e retomar a cadeira no Palácio de Ondina. O senador, por sua vez, não compareceu ao lançamento do PGP.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tribuna da Bahia

 

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.