Redução de fatia do NE em cessão onerosa é fatura por região trabalhar contra a reforma da Previdência

 

 

Os estados do Nordeste deverão sofrer uma redução no valor que esperavam receber com a nova divisão dos recursos do pré-sal da chamada cessão onerosa. A redistribuição foi costurada em acordo nesta terça (8).

Parlamentares trataram o corte como a fatura a ser paga por líderes da região que não apoiaram a reforma da Previdência. Juntos, os estados deverão receber cerca de R$ 10,5 bi —15% do que o governo pretende arrecadar com o leilão da área de exploração de petróleo.

O sinal de que haveria perda aos nordestinos foi dado pelo próprio Paulo Guedes (Economia). Ele prometeu enxugar o pacto federativo após senadores reduzirem a economia gerada pela reforma da Previdência. Ato contínuo, engavetou a compensação prometida aos estados da Lei Kandir (que beneficiaria Sul e Sudeste) e ganhou aliados contra os nordestinos.

O acordo construído nesta terça repõe verbas para os governadores do Sul e Sudeste, mas tira do bolso das lideranças do Nordeste.

Estados exportadores atendidos pelo FEX (auxílio financeiro para o fomento das exportações), como Mato Grosso e Rio Grande do Sul, devem tentar emplacar, até o último minuto, dispositivo que amplie um pouco seus ganhos.

Bnews

Os comentários estão fechados.