“Precisamos suspender os cortes já”, diz Alice sobre contingenciamento na educação

 

 

A deputada federal Alice Portugal (PCdoB-BA) disse que os cortes no orçamento das universidades e institutos federais podem inviabilizar o funcionamento das instituições federais de ensino superior. Presente na manifestação contra o contingenciamento, realizada na manhã desta terça-feira (13), em Salvador, ela descreveu relatos de reitores que falaram sobre a dificuldade de fechar contas por causa da redução nas verbas recebidas.

“Estive com a reitora da universidade do Sul da Bahia. As despesas da universidade são de R$ 1,2 milhão. Ela só recebeu R$ 800 mil. Ou seja, não terá como fechar as contas. O reitor João Carlos Salles, da Ufba. disse que não terá como fechar as contas em novembro ou antes de novembro”, disse, de forma preocupada. Segundo ela, parte dos cortes orçamentários será revertida para pagamentos de emendas a deputados federais que votaram a favor da reforma da Previdência. 

Ainda segundo ela, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, ainda não confirmou presença na audiência pública marcada para esta quinta-feira (15), às 9h, na Comissão de Educação. “Vamos pressionar para que ele dê as caras. Queremos que ele indique porque ele quer privatizar as universidades, transformando-as em grandes consultorias privadas”, disse em relação ao programa Future-se.  A iniciativa muda regras de financiamento das universidades e permite a captação de recursos próprios, através de parcerias com organizações sociais e a União.

 

Reforma Tributária

Sobre o projeto de reforma tributária, que já pode começar a ser discutido no plenário da Câmara, a parlamentar afirmou que o objetivo será buscar garantias para que os mais pobres paguem menos impostos. 

“Nós todos buscaremos o aprofundamento para uma proteção maior aos pobres, que já foram tão prejudicados na reforma da Previdência. Vão taxar as grandes fortunas? Vão fazer um imposto progressivo no sentido de arrecadar mais de quem tem mais?”, questionou. 

Bocão News

Os comentários estão fechados.