Placas de vídeo da Nvidia vão funcionar com o padrão FreeSync da AMD

As placas de vídeo da Nvidia agora vão funcionar com monitores FreeSync, além da tecnologia G-Sync que é desenvolvida pela própria empresa. O anúncio foi feito durante a CES 2019, feira de eletrônicos em Las Vegas, onde a empresa também revelou a placa de vídeo RTX 2060 pelo preço de US$ 349 (cerca de R$ 1.300, em conversão direta, sem impostos). A novidade favorece o consumidor porque as telas desse tipo são mais fáceis de encontrar e, em geral, são mais baratas do os modelos com a tecnologia exclusiva da Nvidia.

Ambas as tecnologias visam estabelecer uma sincronia entre a taxa de atualização do monitor e a capacidade de trabalho da placa de vídeo. No entanto, o FreeSync costuma estar associado às placas Radeon, da AMD, enquanto o G-Sync é exclusivo dos modelos da Nvidia. Seus usos estão ligados à redução defeitos, como o screen-tearing, principalmente, durante jogos. Assim, é possível garantir uma reprodução de imagem de maior qualidade.

 

Placas de vídeo com GPU Nvidia das arquiteturas Pascal e Turing vão funcionar com o FreeSync — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Placas de vídeo com GPU Nvidia das arquiteturas Pascal e Turing vão funcionar com o FreeSync

O suporte vai variar de acordo com cada monitor. Alguns devem funcionar por padrão, desde que estejam com drivers atualizados, mas outros podem depender de alguma alteração nas configurações. A atualização dos drivers Nvidia, que promove suporte a FreeSync, chega no próximo dia 15 de janeiro.

A fabricante diz que testou mais de 400 modelos no mercado e encontrou 12 modelos das marcas Acer, Asus, Agon, AOC e BenQ que satisfazem métricas mínimas de qualidade e terão suporte às placas GeForce. Os modelos com FreeSync que não passaram no teste ainda assim devem funcionar normalmente com as GPUs. A única questão em aberto é com relação à qualidade de imagem e eventual necessidade de configurações manuais.

Nvidia divulgou lista com 12 modelos de monitores que oferecem FreeSync e passam a ser "G-Sync Compatible" — Foto: Divulgação/Nvidia

Nvidia divulgou lista com 12 modelos de monitores que oferecem FreeSync e passam a ser “G-Sync Compatible”

A grande diferença entre os dois padrões está no fato de que a tecnologia FreeSync é aberta e sua adoção não impõe custos aos fabricantes de monitores. Já o G-Sync é composto por hardware específico da Nvidia, que precisa ser instalado no monitor, gerando custos maiores, que, normalmente, são passados ao consumidor. Por conta disso também, o formato é menos popular do que a solução da AMD.

A decisão da Nvidia mostra o reconhecimento do padrão aberto pela empresa, mas não significa abandono do G-Sync. A partir de agora, a fabricante das placas GeForce irá classificar monitores em três níveis: “G-Sync Compatible”, para telas com FreeSync ,como os 12 modelos já conferidos pela; “G-Sync”, para monitores com G-Sync habilitado; e o “G-Sync Ultimate”, para modelos testados pela Nvidia para melhor qualidade de imagem possível com placas GeForce.

TechTudo

Os comentários estão fechados.