Número de mulheres assassinadas e casos de feminicídio sobem no 1º semestre no Brasil

 

 

O número de mulheres assassinadas no primeiro semestre deste ano, no Brasil, teve um aumento de 2% em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo um levantamento feito pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e Distrito Federal, os casos de feminicídio também subiram, ao contrário de outros crimes relacionados à violência contra a mulher, como agressões e estupros, que caíram no país.

O aumento de 2% nos primeiros seis meses de 2020, corresponde a 1.890 mulheres mortas de forma violenta durante a pandemia do novo coronavírus. O número de feminicídios, quando as mulheres são mortas pelo simples fato de serem mulheres, também uma alta, totalizando 631 crimes.

Os números chamam atenção pelo fato do aumento ter acontecido em meio a pandemia, quando estados adotaram diversas medidas de isolamento social, ou seja, quando as pessoas precisaram ficar mais tempo em casa.

O casos de lesão corporal no contexto de violência doméstica caíram 11%, e os estupros e estupros de vulneráveis tiveram uma queda de 21% e 20%, respectivamente. Tal queda impressiona, já que era esperada uma alta com o confinamento. Especialistas afirmam que essa queda se trata de uma subnotificação, isto é, menos denúncias não foram feitas em razão das dificuldades impostas pela pandemia. Governos de estados como Acre e Sergipe reforçam que os números estão, de fato, subestimados.

Metro1

Os comentários estão fechados.