Na presença de Lúcio, governador do DF defende expulsão de Geddel do MDB

 

Diante de correligionários da “velha guarda”, como Renan Calheiros, Romero Jucá e Lúcio Vieira Lima, o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha fez duras críticas à condução do MDB, durante uma reunião da legenda, realizada na última quarta-feira (20) na Câmara dos Deputados. 

O novato ao defender uma renovação urgente da sigla como forma de sobrevivência e até mesmo ameaçar sua saída da sigla em caso de não modificações, causou constrangimento aos caciques do partido ao defender a expulsão de correligionários presos. 

“Não me sinto na condição de estar no mesmo partido em que está Eduardo Cunha. Não posso estar no mesmo partido de um camarada que foi preso porque tinha mais de R$ 50 milhões guardados em malas em um apartamento”, afirmou Ibaneis, em referência a Geddel Vieira Lima, de acordo com informações do Correio Braziliense. 

O ponto alto do encontro teria sido por a crítica ter sido disparada cara a cara com Lúcio, irmão de Geddel. “Ou vocês querem um partido novo, ou vocês não me querem no partido. Acho que o MDB tem que enfrentar suas feridas, porque senão vamos definhar”, bradou o governador, diante de uma plateia silente. 

Por fim, ele não deixou de citar que mesmo com uma bancada de 34 deputados federais, o partido “está se diluindo neste início de governo e não existe do ponto de vista estrutural”, a começar por não possuir nenhum porta-voz. 

Bocão News

Os comentários estão fechados.