Mundial de Vôlei: A seleção brasileira ganha um jogo definido no tie-break

 

Poderia ter sido um jogo impecável. Foram dois sets de um Brasil agressivo e impiedoso, regido pela vibração de Lipe e pela eficiência do bloqueio. Mas vieram a terceira parcial e a ousadia de Laurent Tillie. O técnico da França trocou meio time e desestabilizou a seleção. Depois do apagão, a seleção se reergueu com a frieza de Wallace para manter os 100% de aproveitamento no Grupo B do Mundial masculino de vôlei. Na Arena de Ruse, selou a vitória por 3 sets a 2 com parciais de 25/20, 25/20, 20/25, 23/25 e 15/12.

– A gente não consegue fazer um jogo tranquilo como fizemos no primeiro e segundo sets (risos). Eles trocaram o time, fizemos um jogo muito abaixo no terceiro set, não sei se isso quer dizer alguma coisa, mas a gente não pode oscilar tanto num campeonato como esse – falou Wallace.

O Brasil não joga nesta sexta-feira – após a primeira rodada cheia, a cada dia duas equipes folgam. O próximo desafio da seleção será no sábado, contra a Holanda. A França volta à quadra já nesta sexta, quando enfrenta o Egito, às 14h30 (horário de Brasília).

O principal jogo do Grupo B na primeira fase conseguiu a proeza de lotar a Arena de Ruse, vazia nos quatro jogos disputados até então. A França teve o desfalque do central Kevin Le Roux, que sofreu uma lesão na coxa na estreia contra a China e só deve ser liberado para jogar na próxima fase. O Brasil também teve uma alteração, mas por opção de Renan. Lipe entrou na vaga de Kadu.

Tribuna da Bahia

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.