Mundial de Vôlei: A seleção brasileira ganha um jogo definido no tie-break

 

Poderia ter sido um jogo impecável. Foram dois sets de um Brasil agressivo e impiedoso, regido pela vibração de Lipe e pela eficiência do bloqueio. Mas vieram a terceira parcial e a ousadia de Laurent Tillie. O técnico da França trocou meio time e desestabilizou a seleção. Depois do apagão, a seleção se reergueu com a frieza de Wallace para manter os 100% de aproveitamento no Grupo B do Mundial masculino de vôlei. Na Arena de Ruse, selou a vitória por 3 sets a 2 com parciais de 25/20, 25/20, 20/25, 23/25 e 15/12.

– A gente não consegue fazer um jogo tranquilo como fizemos no primeiro e segundo sets (risos). Eles trocaram o time, fizemos um jogo muito abaixo no terceiro set, não sei se isso quer dizer alguma coisa, mas a gente não pode oscilar tanto num campeonato como esse – falou Wallace.

O Brasil não joga nesta sexta-feira – após a primeira rodada cheia, a cada dia duas equipes folgam. O próximo desafio da seleção será no sábado, contra a Holanda. A França volta à quadra já nesta sexta, quando enfrenta o Egito, às 14h30 (horário de Brasília).

O principal jogo do Grupo B na primeira fase conseguiu a proeza de lotar a Arena de Ruse, vazia nos quatro jogos disputados até então. A França teve o desfalque do central Kevin Le Roux, que sofreu uma lesão na coxa na estreia contra a China e só deve ser liberado para jogar na próxima fase. O Brasil também teve uma alteração, mas por opção de Renan. Lipe entrou na vaga de Kadu.

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.