Mortes por Aids chegam a 363 na Bahia

 

 

Com a pandemia do coronavírus, pessoas com o vírus HIV, parentes e amigos sentem preocupação em relação como se proteger ou ajudar ao paciente em tempos de pandemia do coronavírus. Na Bahia este ano, foram 1.146 casos notificados de HIV e 321 casos de Aids com 363 óbitos, sendo que no ano passado foram registradas 429 mortes. De acordo com a Secretaria de saúde da Bahia, (Sesab), o tratamento oferecido pelo Estado é gratuito e a base de antirretrovirais.

“Os sintomas mais comuns da aids são: febre, diarreia, sudorese noturna e emagrecimento. Por tratar-se de uma doença classificada como síndrome da imunodeficiência adquirida, o que ocasiona uma queda da imunidade da pessoa acometida pela doença e tendem a adoecer por doenças oportunistas como: hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer, no momento mais avançado da doença. As complicações da AIDS, muitas vezes são devido ao fato dos infectados, não realizarem o tratamento correto, abandonarem o tratamento orientado pelas equipes de saúde, além de não utilizarem os meios de prevenção para Infecções sexualmente Transmissíveis.” (IST), informa a Sesab através de nota de sua assessoria de Comunicação.

Diante de qualquer situação os cuidados que as pessoas devem ter para se prevenir contra a doença são :Relação sexual protegida, com o uso de preservativo e gel lubrificante, o não compartilhamento de seringas e material de perfuro – cortante, uso da prevenção pós exposição (PEP) quando necessário, adesão a prevenção pré- exposição (PReP) quando indicada, a não amamentação das crianças nascidas de mães soro positivas, realização do pré-natal de toda gestante, realização de teste rápido para o diagnóstico precoce, adesão ao tratamento quando soro positivo.

“O tratamento é oferecido pelo SUS da Bahia é gratuito, seguro e eficaz com uso de antirretrovirais de forma contínua,” explica a Sesab através de nota.

A Sesab também argumenta, “ o tratamento é contínuo. As pessoas soro positivas tiveram continuaram com o atendimento nos serviços especializados sem comprometimento ao seguimento da assistência na sua integralidade durante o período de isolamento social.”

O Número de óbitos por AIDS em toda a Bahia até setembro deste ano foi de 363, no mesmo período, ano passado foram informados 429 óbitos, o que fica caracterizada uma redução. Os hospitais de referência da Aids na Bahia são , Em Salvador, o Instituto Couto Maia e Hospital Professor Edgard Santos e no interior do Estado os Hospitais Regionais e Gerais têm leitos pactuados para pacientes com Aids, a exemplo do Hospital Regional Clériston Andrade, em Feira de Santana, Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus.

O professor e infectologista Jean Gorinchtein destaca, “ o cuidado para pessoas com HIV durante a pandemia deve ser o mesmo para aqueles que não vivem com o vírus. As pessoas devem estar alertas na utilização de transportes públicos, manter ambientes arejados e ventilados, evitar aglomerações.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.