Jovem lateral do Vitória revela dispensa do Bahia: “Disseram que eu era pequeno”

[Jovem lateral do Vitória revela dispensa do Bahia:

 

Sem aguentar as atuações ruins de Lucas, a torcida do Vitória pediu, insistentemente, pela entrada de Cedric. Nesta quarta-feira (6), o técnico Vagner Mancini resolveu atender e escalou o jovem lateral-direito de titular contra a Chapecoense.

O jogador, de 20 anos, mostrou nervosismo, mas correspondeu. Não foi uma atuação de gala, mas o garoto passou no teste com um desempenho seguro, principalmente na parte defensiva, na sua estreia em uma Série A com triunfo por 1 a 0.

Após a partida, Cedric conversou com a Equipe dos Galáticos e contou um pouco da sua história. O lateral logo surpreendeu ao revelar uma tentativa de defender o rival Bahia, onde foi rejeitado.

“Tive no Bahia, mas não me deram oportunidade lá. Disseram que eu era pequeno, que não tinha porte físico de jogador. Vim para o Vitória, fiz o primeiro teste e perdi. Fiz o segundo teste e perdi. Quando já estava desistindo, fiz o terceiro teste e passei. Agradeço ao Vitória por ter me acolhido”, disse.

Nascido e criado na Boca do Rio, em Salvador, o lateral comemorou a estreia na Série A. “Graças a Deus fiz uma boa partida, não só eu como grupo todo. É continuar assim. Temos mais seis pontos para disputar e ganhar”.

Mas, não foi fácil entrar na equipe em um momento de pressão vinda das arquibancadas com a fase ruim do clube. O próprio atleta admitiu momentos de nervosismo, mas destacou o apoio dos colegas. “O grupo todo me passou confiança. O Mancini também conversou comigo. Fiquei um pouco nervoso no início, até errei a primeira bola”.

O próprio treinador, citado por ele, foi só elogios à sua apresentação na coletiva de imprensa após o duelo. “O Cedric entrou e teve um comportamento muito bom. Não é fácil um garoto entrar pela primeira vez numa Série A e mostrar o que ele mostrou. Foi seguro atrás”, afirmou Mancini.

Mais tranquilo e confiante, Cedric encerrou a entrevista garantindo estar pronto para enfrentar o Corinthians e para seguir na equipe. “Com certeza. Venho trabalhando forte. O psicológico às vezes é um pouco a mais, mas é me preparar para a partida. Mancini me deu essa oportunidade e é agarrar com todas as forças”, concluiu.

Bocão News

Os comentários estão fechados.