Jaques Wagner rebate fala de ACM Neto defende Lula

 

 

O senador Jaques Wagner (PT) defendeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) após a fala do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e criticou a “arrogância” do democrata soteropolitano. Na semana passada, Neto afirmou, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que as eleições municipais deste ano provocaram um “processo de aceleração da aposentadoria do Lula”.

“A decisão sobre o futuro do presidente Lula cabe somente a ele. Só porque ganhou domingo (no dia 15 de novembro) já está com a arrogância de querer dizer o que vai acontecer. Já demonstra que não sabe conviver com as eventuais vitórias, e eu espero que não faça o mesmo que fez há dois anos atrás porque o que ele apoiou está aí matando o Brasil”, disse Wagner, em entrevista à Tribuna. Ao dizer que Neto “apoiou está aí matando o Brasil”, o senador petista se refere ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Depois de dizer no início deste ano que “acabou o mito Lula”, Neto declarou ao Valor que o poder de cabo eleitoral do ex-presidente se esvaziou e o petista “não decidiu eleição em lugar nenhum” neste ano. “Houve um processo de aceleração da aposentadoria do Lula. Porque antes era assim: Lula botava a mão no ombro, parecia uma varinha de condão que, automaticamente, transformava o candidato num nome competitivo. Não aconteceu isso desta vez. Salvador é um exemplo disso. Ele apoiou desde o primeiro dia a candidata do PT aqui (Major Denice), que acabou que acabou com 18% das intenções de votos. Mesmo no Recife, onde a Marília Arraes (PT) foi para o segundo turno (com João Campos, do PSB), eu não tenho notícias de que o Lula, pessoalmente, tenha conseguido eleger prefeitos em capitais ou em grandes cidades. Acho que o jogo eleitoral, a fotografia, mostra sim que os extremos, tanto no campo da esquerda quanto da direita, foram derrotados nestas eleições. Prevaleceu uma visão moderada, equilibrada e de centro”, declarou o democrata soteropolitano.

Na semana passada, o senador Jaques Wagner reconheceu que ACM Neto “saiu forte” das eleições municipais deste ano ao conseguir eleger Bruno Reis (DEM) como novo comandante do Palácio Thomé de Souza. “É óbvio que ele saiu forte, porque ele elegeu o sucessor dele. Não estou tirando o mérito não. Ele elegeu bem. Trabalhou, na minha opinião, corretamente porque colocou Bruno de vice e aí a taxa de exposição de Bruno era muito grande. Em alguns momentos, Neto saiu de cena e botava ele (Bruno Reis) em tudo que era inauguração. Então, evidentemente foi visto”, afirmou Wagner, em entrevista à rádio Metrópole.

O senador disse ainda que a eleição serviu para ACM Neto recuperar a imagem após o desgaste da eleição de 2018. Naquela ocasião, o democrata decidiu não ser candidato a governador da Bahia e deixou os aliados revoltados. “Superou aquela crise de 18, que largou o grupo dele todo na mão e conseguiu se recuperar neste aspecto”, pontuou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.