‘Ford fechou, mas vamos em busca de novos caminhos’, diz Leão

O vice-governador da Bahia e secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, João Leão, lamentou o anúncio de fechamento da Ford no Brasil, na última segunda-feira (11). Entretanto, Leão destacou o empenho que o governo do Estado está fazendo para conseguiur substituir a Ford que fica em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

“A Ford fecha, mas vamos em busca de novos caminhos. E isto já está acontecendo. O governador Rui Costa já está buscando alternativas para substituir a Ford em Camaçari”, destacou Leão.

No Brasil, a Ford comunicou que irá manter funcionando apenas as operações do Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, e o Campo de Provas, em Tatuí, no interior de São Paulo, além da sede regional administrativa localizada em São Paulo. Para Leão, é importante lutar para que a montadora amplie o centro de design, mantido na Bahia. 

Reestruturação 

“Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil”, afirmou o  presidente e CEO da Ford,  Jim Farley, no comunicado enviado pela montadora norte-americana à imprensa.

A Ford deverá gastar US$ 4,1 bilhões em todo trâmite de saída de sua produção do Brasil.

“Em decorrência deste anúncio, a Ford prevê um impacto de aproximadamente US$ 4,1 bilhões em despesas não recorrentes, incluindo cerca de US$ 2,5 bilhões em 2020 e US$ 1,6 bilhão em 2021. Aproximadamente US$ 1,6 bilhão será relacionado ao impacto contábil atribuído à baixa de créditos fiscais, depreciação acelerada e amortização de ativos fixos. Os valores remanescentes de aproximadamente US$ 2,5 bilhões impactarão diretamente o caixa e estão, em sua maioria, relacionados a compensações, rescisões, acordos e outros pagamentos”, revelou a empresa do ramo automobilístico na nota enviada aos meios de comunicação.   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bocão News

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.