Fiscais ambientais da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável de Cairu resgatam tartaruga

Após ser encontrada em Garapuá e encaminhada por populares para Praia do Encanto, em Morro de São Paulo, uma tartaruga da espécie verde  juvenil foi resgatada nesta quinta-feira (05) por  fiscais ambientais da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável. Essa espécie pode  atingir até 143 cm de comprimento de carapaça, pesar 160kg e viver até 75 anos, possuindo status de conservação sinalizado como vulnerável. 

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Sustentável, Fabiana Pacheco, o animal encontrava-se debilitado, por isto foi encaminhado para a sede do  Projeto TAMAR na Bahia, localizada na Praia do Forte, para os devidos cuidados antes de ser devolvido ao seu habitat natural.

O Projeto TAMAR começou nos anos 80 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil. Com o patrocínio da Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental, hoje o projeto é a soma de esforços entre a Fundação Pró-TAMAR e o Centro Tamar/ICMBio. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.
ASCOM
Os comentários estão fechados.