Ex-empresário processa Tiago Iorc e pede indenização de quase R$ 700 mil

Não é de hoje que as desavenças entre Tiago Iorc e seu ex-empresário, Felipe Simas, acontecem. O desentendimento certa vez sobrou até para dupla AnaVitória, que são empresariadas pelo mesmo, e que chegaram a “bater boca” com o cantor nas redes sociais após proibição para cantar uma música composta por ele.

Agora, o novo episódio é que Simas processou o cantor e pede uma indenização de quase R$ 700 mil. Segundo informações divulgadas pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, no processo, Felipe Simas acusa Tiago Iorc de romper, sem motivo justo, com o contrato de dez anos de agenciamento de sua carreira e da publicação de dois vídeos que, segundo o empresário, seriam ofensivos e difamatórios contra ele.

A defesa de Felipe Simas afirma que o empresário seria um dos grandes responsáveis pelo sucesso de Tiago Iorc, e relata o início de sua carreira e os esforços que Felipe teria feito para que o cantor despontasse no cenário da MPB. “Através do trabalho do Felipe, Tiago começou a fazer parcerias musicais com artistas já consagrados. Foi aí que se deu a virada na carreira de Tiago, quando ele passou a ser considerado como parte da elite dos artistas populares. Tiago foi transformado, pelas mãos de Felipe Simas, de um desconhecido cantor a artista consagrado”, afirmou.

De acordo com a publicação, consta na ação que,  após nove anos de uma relação de confiança e de um pacto verbal estabelecido entre Felipe e Tiago, o cantor o teria descartado sem aviso prévio. “Felipe nunca havia exigido um contrato formal de agenciamento artístico, tendo pactuado sua remuneração e demais condições de trabalho de forma verbal, e essa modalidade funcionou muito bem durante 9 anos, até o momento em que o Tiago resolveu descartar o Felipe como seu agente artístico, sem aviso prévio, sem maiores explicações e sem pagar pelos valores legalmente devidos”.

Em contato com a colunista, os advogados de Simas ainda afirmam que o cantor teria difamado seu antigo agente para justificar o rompimento e não compensá-lo financeiramente. “Para isso, valeu-se de práticas reprováveis e ilícitas, inclusive mediante a difamação do nome e da credibilidade do Felipe por sua rede social, tudo para justificar uma pretensa razão para rescindir o pacto verbal sem a respectiva compensação”.

Apesar de não ser parte da ação, o pai do cantor, Edson Iorczeski, é citado por Felipe como um dos responsáveis pelo rompimento entre eles, uma vez que Tiago e Edson teriam retirado a empresa de Felipe da assinatura de um importante contrato com a Universal Music, substituindo o antigo empresário por uma nova empresa criada por pai e filho. “Tiago seguiu em frente e ignorou seu parceiro de 9 anos e seu sócio, e assinou o Contrato de Parceria (com a Universal Music) através da empresa da qual é sócio com seu pai, Edson. Edson fez uso abusivo dos poderes que recebeu, para beneficiar seu filho no encerramento abrupto e não formalizado apropriadamente da relação de 10 anos que manteve com o Felipe. Tiago seguiu em frente e ignorou seu parceiro de 9 anos e seu sócio”, alega.

Histórico

Vale lembrar que todo imbróglio envolvendo Felipe Simas e Tiago Iorc tornou-se público quando, em junho de 2020, a cantora Ana Caetano, do duo Anavitória, afirmou em uma live que Tiago não permitiu que as cantoras regravassem a canção ‘Trevo (Tu)’, um feat de Anavitória e Tiago Iorc, vencedor do Grammy Latino de 2017. Na época, Tiago foi às redes sociais dar sua versão dos fatos e afirmou que o escritório de Felipe Simas estaria sabotando seu trabalho e agindo de má fé.

Mas, segundo o empresário, o cantor estaria usando de um direito seu para coagir Felipe a ceder aos seus termos na rescisão do contrato de agenciamento. “Tiago estava usando, de forma distorcida e abusiva, de um direito seu para coagir Felipe a ceder aos seus termos na rescisão do contrato de agenciamento. Ele disse claramente para as cantoras o seguinte: ‘Ou seu empresário faz o que eu quero, ou vocês serão prejudicadas'”, afirma.

Bocão News

Os comentários estão fechados.