Ex-cantor é preso acusado de latrocínio

Um operador de telemarketing e um cantor foram os responsáveis pelo roubo seguido de morte do analista técnico do Ministério Público Federal (MPF), Wallace Souza Duarte de Oliveira, de 40 anos. O crime ocorreu em 22 de junho, quando o analista foi asfixiado e queimado em um terreno baldio na Rua Paquistão, nas mediações da Brasilgás, em Salvador. 

19ccccccc

O operador de 20 anos , mantinha um relacionamento íntimo com o analista há dois anos. Foi ele, aliás, quem chamou Wallace para um passeio e, no caminho, incentivou o analista a dar carona para um homem de  20 anos , cantor da banda “Vamo Nessa”, ex New Hit.  

Segundo a delegada Clelba Teles, diretora adjunta do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que apresentou o cantor na coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (12), a dupla torturou a vítima para conseguir as senhas dos cartões de crédito e débito. “Após socos e chutes, eles chegaram a asfixiar Wallace, que morreu”, explicou a delegada.

 “Para tentar esconder o crime, a dupla queimou o corpo do analista e empreendeu fuga. Policiais militares avistaram o fogo e apagaram parte das chamas”, detalhou à delegada. O carro de Wallace, um Siena, placa NYP-5657, foi localizado no dia 21 de julho, na Barragem do Parque São Bartolomeu. O uso do cartão de crédito da vítima pelos dois confirmou a linha de investigação para a elucidação de crime.

Os dois  tinham mandados de prisões temporárias, o DHPP vai solicitar à Justiça às prisões preventivas de ambos, que deverão responder por latrocínio, que é roubo seguido de morte. Pelo fato de a temporária do operador ter expirado, ele foi liberado.

 

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.