Democratas pode apoiar Alckmin ou Ciro Gomes

 

O prefeito ACM Neto, presidente nacional do DEM, é um dos caciques que tenta costurar uma união dos partidos de centro. “A nossa perspectiva é que não apenas o Democratas, mas quatro partidos possam marchar juntos na sua decisão e em todas as conversas que a gente vem tendo, não se cogita nesse momento deixar de declarar apoio a um candidato. Essa é uma opção que sempre pode existir, mas eu diria que é a última”, explicou ele ontem, durante uma autorização de obras de uma unidade de saúda da família no Resgate. O gestor soteropolitano adiantou que uma decisão definitiva deve ser tomada ainda nesta semana. “A tendência é que a gente defina sim o apoio por uma candidatura. Vamos ter conversas amanhã à noite [hoje] e na quinta [amanhã]. Pode ser que uma decisão seja tomada ainda essa semana ou no máximo na próxima semana”, pontuou. Neto assegurou que são as mesmas as chances de o DEM  apoiar Ciro Gomes (PDT) ou Geraldo Alckmin (PSDB) na eleição presidencial. Hoje, a expectativa é que ele se reúna com partidos do Centrão, incluindo PP e PRB. Segundo ele, o objetivo do bloco é definir conjuntamente o candidato a apoiar para o Planalto.

Ainda no evento em Salvador, o presidente do DEM negou que tenha declarado preferência em apoiar o pedetista. “Ninguém ouviu da minha boca que eu prefiro A, B ou C. Não tenho estabelecido publicamente nenhum tipo de preferência até porque como presidente tenho obrigação de traduzir o desejo do partido e não só a minha opinião”, concluiu. Ele condiciona o apoio do partido ao presidenciável à adequação do plano de governo de Ciro às ideias defendidas pelos democratas. “Já é de conhecimento público que no último sábado tivemos uma longa reunião em São Paulo. E como esse processo se afunilou entre duas hipóteses, Ciro e Geraldo Alckmin, é importante entender que a plataforma, o plano de governo, as propostas de Alckmin já integram um campo político do qual já fazemos [DEM] parte”.

“Então, com Ciro, para saber se é possível avançar para uma eventual aliança, antes é preciso saber se há compatibilidade entre propostas e programas. Não vamos negociar nada com um pré-candidato que não seja esse alinhamento programático, uma agenda para o Brasil”.

Convenção do DEM baiano já está marcada

O presidente nacional do Democratas ainda informou que a convenção do partido na Bahia será no dia 3 de agosto (sexta-feira), com a apresentação do candidato a vice-governador e o segundo postulante ao Senado – impasse que ainda não foi resolvido. “Ontem acertamos que a data da convenção na Bahia será dia 3 de agosto. Estamos perfeitamente seguindo o cronograma, sem pressa. Temos uma agenda intensa de pré-campanha com Zé Ronaldo e Jutahy como pré-candidato ao Senado”, disse.

Atualmente, a chapa segue com José Ronaldo (DEM) como pré-candidato ao governo e Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) ao Senado. Falta apenas escolher quem ocupará a segunda vaga à senatoria e à vice. Atualmente, existe um imbróglio sobre quais serão esses nomes. O PSC não abre mão de emplacar o deputado federal Irmão Lázaro. O tucano, por outro lado, resiste. Em entrevista à Tribuna, ontem, ele sugeriu que o parlamentar evangélico ajudaria o grupo se decidisse ficar mesmo na vice e desistisse da cadeira no Congresso. “Na minha visão, ele sendo candidato a senador pelo nosso grupo, ele não contribui. Isso é da estratégia da minha campanha. Transmiti minha visão a ele pessoalmente e ao Democratas. É um direito dele buscar a melhor forma para se eleger”, declarou. (HB)

 

 

 

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.