Cuidado: golpes de hackers devem aumentar na Black Friday

Trata-se de uma das épocas do ano com maiores riscos para os consumidores virtuais

Com a Black Friday se aproximando, começam a se multiplicar os casos de golpes online aplicados em consumidores. Só neste mês de novembro já foram identificados 1 600 perfis falsos, com mais de 45 mil pessoas recebendo, acessando ou compartilhando promoções que não existem — isso apenas no Brasil.

Em escala global, as fraudes quadruplicam nesse período. As grandes varejistas, como Lojas Americanas, Walmart e Magazine Luiza, são os maiores alvos dos criminosos, que criam páginas falsas praticamente iguais às originais e, por meio delas, aplicam golpes. Confira, a seguir, algumas dicas para se proteger dessas armadilhas virtuais.

Dica: Verifique a promoção antes de informar seus dados
O que os hackers buscam são informações como a chave de segurança e o número do seu cartão de crédito. Por isso, caso se interesse por alguma oferta, tente verificar se ela é real e se de fato está sendo anunciada pela marca em questão. Solução simples: após receber a promoção por mensagem, por exemplo, acesso o site oficial da empresa específica e cheque se está tudo correto, antes de comprar algo.

Dica: Confirme que está no site correto
A barra de endereços deve sempre conter a URL correta, com ortografia precisa e antecedida por um ícone de cadeado verde ou pelas letras “https”. Qualquer letra fora do lugar, ou nome estranho para a página, é sinal de perigo.

Dica: Cuidado com mensagens de promoções
Uma ferramenta muito utilizada por hackers é o envio de e-mails, SMS, mensagens em redes sociais e banners de publicidade anunciando ofertas enganosas. Por isso, fique atento aos links que recebe por qualquer um desses meios.

Dica:  Evite usar WiFi público
Quando se recorre a esse tipo de conexão, é possível que hackers interceptem a transação e tenham acesso aos seus dados. Assim, dê preferência ao 3G ou ao 4G. Caso o uso de WiFi público seja inevitável, utilize uma conexão virtual privada (VPN), que evita a intromissão de pessoas mal intencionadas.

Dica: Proteja o WhatsApp
Outra forma usual de anúncio dos golpistas é por meio do WhatsApp. Para evitar cair em armadilhas, ative a verificação em duas etapas e o bloqueio de tela na sua conta (opções disponíveis nas configurações do aplicativo). Além disso, nunca informe senhas ou códigos por meio do aplicativo.

Dica: Desconfie (é o básico)
Por mais tentadores que sejam os preços da Black Friday, desconfie de descontos muito grandes ou valores muito baixos. Pode ser uma forma que os hackers usam para atrair vítimas.

Dica: Cheque a loja
Busque comprar apenas em lojas virtuais conhecidas e com boa reputação. É possível, inclusive, recorrer ao Procon, que disponibiliza uma lista chamada “Evite esses sites”, apontando aqueles que costumam ser fontes de golpes. Se depois de todas as medidas, continuar em dúvida, aí recorra a uma loja física para realizar a compra, se isso for possível.

VEJA

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.