Coronavac tem entre 78% a 100% de eficácia no Brasil

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou na tarde desta quinta-feira (07), que os testes realizados com a Coronavac, vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac, apresentaram eficácia de até 100% em pacientes imunizados e que pudessem desenvolver casos graves e moderados da doença e de 78% em pacientes imunizados que desenvolveram casos leves da doença, ou aqueles que passariam por atendimento ambulatorial. A vacina será aplicada em duas doses. 

De acordo com o governo paulista, na prática, os pacientes de grupo de risco ou que seriam internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) terão a vida salva e os demais, chances mínimas de desenvolver um agravamento da doença. Nenhum dos voluntários que receberam a vacina foram internados, ou seja, 100% de eficácia nos casos mais leves. 

“A vacina do Butatan é eficaz e a única disponível hoje para controle da pandemia no Brasil e está entre as vacinas mais seguras do mundo”, afirmou o médico e pesquisador Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. 

Para Paulo Cimerman, médico infectologista do Hospital Emílio Ribas, a maior importância dos resultados obtidos pela vacina do Butantan é que seja possível prevenir casos graves. “Quando a gente diminui casos graves a gente diminui internação hospitalar, mortalidade e todo um complexo que está envolvido e, também diminui custo. Ou seja, a vacina além de salvar vidas também representa uma redução de custos para dos cofres públicos”, ressalta Cimerman. Segundo ele, entre as principais vantagens da Coronavac está a logística fácil e ser uma vacina baseada em vírus vivos inativado, “que a gente tem maior experiência para tramitar com vários grupos prioritários que teremos que trabalhar e aliados à experiência que tem o Butantan na confecção de vacinas baseadas em vírus”, diz Cimerman. 

Confira abaixo a eficácia das principais vacinas contra Covid-19 em desenvolvimento: 

 

  • Pfizer/BioNTech

País: Estados Unidos e Alemanha

Eficácia: 95%

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 43.661 voluntários entre Estados Unidos, Brasil, Argentina, Alemanha, Turquia e África do Sul

  • Moderna

País: Estados Unidos

Eficácia: 94,5%

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 30.000 voluntários nos Estados Unidos

  • AstraZeneca/Oxford

País: Reino Unido

Eficácia: 70,4%

Fase de testes: fase 3 concluída, com resultado revisado

Pessoas testadas: 11.636 voluntários participaram de análise de eficácia, no Reino Unido e Brasil

  • Coronavac (Sinovac)

País: China / Brasil

Eficácia: 78% em casos leves; 100% em casos graves e moderados

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 13.000 no Brasil, há também voluntários na China, Indonésia, Turquia, Bangladesh, Filipinas, Arábia Saudita e Chile

  • Sputnik V

País: Rússia

Eficácia: 91,4%

Fase de testes: fase 3 em andamento

Pessoas testadas: 40.000 na Rússia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tribuna da Bahia

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.