Casos de queimaduras crescem cerca de 50% no São João

 

 

O São João se aproxima e muita gente já está se programando para aproveitar os festejos do período, principalmente no interior baiano. Mas, além da diversão, vale uma ressalva, principalmente para as crianças e adolescentes, em relação aos fogos de artifício. Isso porque o contato com rojões, bombas, as tradicionais ‘guerras de espadas’ e as próprias fogueiras podem provocar consequências graves como queimaduras em dedos, mãos e braços, além de mutilações dos membros. Segundo o cirurgião plástico do Hospital São Rafael, especialista no assunto, Jiuseppe Greco, “nesta época do ano, na Bahia, ocorre um aumento de até 50% dos casos, em relação a outros períodos. Então, a prevenção é a principal dica para evitar o crescimento dos índices”.

É fundamental que os pais estejam presentes no momento do manuseio dos fogos, mesmo nos de baixo risco, sendo importante anular a possibilidade de brincar com os mais potentes. “Não é recomendado ainda que as crianças guardem os produtos nos bolsos e, muito menos, acendam vários simultaneamente. Além disso, os fogos jogados no chão, como traques e cobrinhas, não devem ser segurados quando forem acesos”, orienta o médico, que também recomenda o uso de casaco, calça jeans e o uso de luvas grossas. O uso de roupas de nylon não é aconselhável, uma vez que o material é inflamável.

Em caso de acidente, nem todas as pessoas sabem ao certo quais são as medidas mais adequadas a serem tomadas e acabam utilizando soluções caseiras para tentar aliviar a dor. “Colocar manteiga, creme dental e gelo, por exemplo, pode dar a sensação de alívio imediato, mas dificulta a avaliação médica e ainda pode irritar e agravar a lesão. A primeira medida a ser adotada é afastar a vítima da fonte de calor. É aconselhável ainda lavar a área afetada com água corrente; envolver em panos limpos; retirar possíveis acessórios, como anéis e pulseiras, pelo risco de inchaço no local; jamais estourar as bolhas; e seguir o quanto antes para uma unidade de saúde especializada. O Hospital São Rafael, por exemplo, é uma das poucas unidades de saúde privada de referência para o atendimento aos queimados”, afirma Greco.

Para o médico, em relação às queimaduras, a cirurgia plástica passa a ser mais do que um recurso de estética e se torna indispensável para tratar as sequelas. “Este procedimento é importante desde o tratamento inicial, na contenção dos danos e prevenção de agravantes, até no tratamento posterior das deformidades estético-funcionais”, conclui Jiuseppe Greco.

Outras dicas para prevenir queimaduras:

·         Não direcione os fogos para outras pessoas.

·         Não tente reacender aqueles que falharam.

·         Nunca brinque perto de rede elétrica e de produtos inflamáveis.

·         Obedeça a classificação etária do fabricante dos fogos.

·         Não compre estes objetos em locais clandestinos e de fabricação caseira.

Tribuna da Bahia

Os comentários estão fechados.