Campanha arrecada material para ajudar no combate ao óleo que atinge Boipeba

 

 

Um grupo de voluntários da comunidade da Ilha de Boipeba, em Cairu, no Sul da Bahia, decidiram fazer uma ‘vaquinha virtual’ para comprar equipamentos de proteção individual que serão utilizados para remover as manchas de óleo que atingiram a localidade. 

Por meio da campanha, eles pretendem adquirir luvas, botas e máscaras. O dinheiro arrecadado também será gasto com deslocamento e outras necessidades. Até a tarde desta segunda-feira (28), já foram arrecadados pouco mais de R$ 6 mil, dos R$ 10 mil esperados.

Ao Metro1, um dos voluntários que prefere não se identificar relatou que a quantidade de óleo que atinge a região é preocupante. “O óleo não para de chegar, a gente limpa e todo dia chega mais. Estamos quase zerados de material. Não estamos achando nem onde comprar”, alerta.

Na terça-feira (22), a prefeitura publicou dois decretos no Diário Oficial do Município. Um deles declarava situação de emergência nas áreas litorâneas do município. O outro, estabelecia a interdição das praias afetadas e dos passeios “Volta à Ilha”. “A interdição das praias não está sendo cumprida. A prefeitura queria abafar o caso para não prejudicar o turismo, a comunidade é contra esse silêncio. Estamos desesperados”, disse.

Outro lado

Procurada, a Prefeitura de Cairu informou que nesta segunda as equipes de limpeza das praias, coordenadas pela Secretaria de Desenvolvimento Sustentável, com apoio da Marinha do Brasil e grupos de voluntários, continuam realizando a limpeza das manchas de óleo que atingiram as praias de Bainema e Moreré. Reforçou ainda que as praias de Morro de São Paulo, na Ilha de Tinharé, estão limpas e com livre acesso. 

Segundo o Executivo Municipal, desde a chegada do óleo em Cairu, a prefeitura já adquiriu 1100 pares de luvas, 320 máscaras com filtro, 100 pares de botas, 50 peneiras, 25 pás, 35 rasteios, 60 big bags, 2000 sacos de alinhagem, 1000 sacos de lixo, 30 bombonas, entre outros equipamentos. Além destes materiais, o trade turístico do arquipélago, da região e a Defesa Civil da Bahia tem enviado equipamentos essenciais no combate às manchas. 

A prefeitura disse ainda que as ações de limpeza contam com 50 servidores diariamente no monitoramento, limpeza e contenção das manchas de petróleo nas praias do arquipélago. Para reforço nas atividades de limpeza, está prevista a chegada de 40 integrantes da Marinha do Brasil na manhã desta terça-feira (29).

Metro1

Os comentários estão fechados.