Após ser condenada, Anitta recorre ao CNJ pedindo suspeição de juíza

Após ser condenada a pagar R$ 3 milhões de indenização à ex-empresária Kamila Fialho, a defesa da cantora Anitta vai protocolar dois pedidos de suspeições contra a juíza responsável pela sentença, Flávia Almeida Viveiros de Castro. 

A defesa vai alegar junto ao Conselho Nacional de Justiça parcialidade da magistrada, em razão de certas circunstâncias ou interesses intercorrentes que possam impedir ou privar qualquer deles da exação no exercício de suas funções.

Entenda o caso

Anitta rompeu o contrato com a empresa K2L, a qual Kamilla Fialho é sócia, por causa de um desvio de R$ 2,5 milhões em dois anos. Na época, a empresária apresentou provas que comprovavam sua inocência.

“Mostrei tudo o que foi pedido e agora espero a juíza se manifestar. Comprovei tudo e todas as acusações não procedem. Não devo nada”, afirmou Kamila ao site ‘Purepeople’. 

Meses depois, entretanto, o processo sofreu uma reviravolta e a cantora foi condenada a pagar indenização a Kamilla. Após a confusão, Anitta abriu a empresa Rodamoinho Produções Artísticas, que passa a ser a administradora oficial de sua carreira. 

Correio

Os comentários estão fechados.