ACM Neto não descarta desistência de Maia

 

Presidente nacional do Democratas, ACM Neto não descartou, ontem, a possibilidade de o dirigente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), desistir da candidatura ao Palácio do Planalto. Em entrevista à imprensa, durante a inauguração da Rádio Câmara de Salvador, o prefeito ressaltou que o seu partido tem “responsabilidade com o país” e deve pensar em um projeto para o “futuro do Brasil”. “Não tomamos ainda uma posição em relação à eleição presidencial. Por enquanto, o Democratas mantém a pré-candidatura de Rodrigo Maia a presidente. […] Agora, nós temos uma responsabilidade maior com o país. O próprio presidente Rodrigo [Maia] tem dito isto. Ou seja, ele se apresenta como o nosso nome. Mas não será, de maneira alguma, avesso a gente conversar, dialogar e procurar a construir um caminho que procure unificar um projeto para o futuro do Brasil. Não adianta especularem neste momento se vai com A, B ou C. Neste momento, o nosso candidato é o Rodrigo Maia. Agora, o Democratas e eu, particularmente, tenho conversado com todo mundo”, afirmou.

Levantamento do Datafolha divulgado, no final de semana, mostrou que Maia não consegue decolar nas pesquisas. O chefe do Legislativo tem oscilado entre 1% e 2%. Ontem, ganhou ainda mais contorno a especulação de que o Democratas e PP vão apoiar o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) na disputa pela Presidência. O pedetista tem hoje 6% das intenções de votos e sobe para 10% no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). ACM Neto não descartou a hipótese de aliança com Ciro e fez questão de minimizar uma declaração do presidenciável. Em entrevista na Argentina na semana passada, o pedetista disse que poderia até firmar aliança com o PP e o DEM, desde que feche antes com PSB e PCdoB para garantir a “hegemonia moral e intelectual” da chapa.

“Acho que a declaração foi descontextualizada. Eu, inclusive, recebi no próprio sábado telefonemas de pessoas ligadas ao partido do pré-candidato Ciro para esclarecer que o contexto não era aquele. Então, eu repito: Não vou ficar levando em consideração o que se debate na imprensa”, pontuou. Presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça afirmou que, se Ciro firmar acordo com o DEM e PP, o pré-candidato a presidente não vai “mudar a orientação política”. “É como dizia o velho ACM: apoio se recebe de todo mundo. Acho que é o momento de fazer uma nova construção para o país depois do governo [Michel] Temer. Agora, receber apoio não muda a orientação política”, pontuou.

Prefeito nega esperar definição da chapa governista

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), negou, ontem, que espera o governador Rui Costa (PT) definir a chapa para a oposição anunciar a composição. A expectativa é que a majoritária governista só seja divulgada a partir do dia 15 de junho, quando o vice-governador João Leão (PP) retorna de uma viagem à China. 

“Nosso time é um, o dele é outro. Nossos partidos não têm nenhuma relação com os partidos do governador. Tenha certeza que não tem nada a ver com a outra”, afirmou, em entrevista à imprensa, durante a inauguração da Rádio Câmara de Salvador, no Centro de Cultura da Casa. Na chapa da oposição, até o momento, só dois nomes estão confirmados. O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), como candidato ao governo da Bahia, e o deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB), como postulante ao Senado. O segundo nome que vai competir pela Câmara Alta do Congresso Nacional e o vice permanecem indefinidos, apesar de haver muitas especulações.

Para a segunda vaga ao Senado, dois nomes são cotados para os postos. O deputado federal Irmão Lázaro (PSC) e o da vereadora de Salvador, Ireuda Silva (PRB). Já, para o cargo de vice, são especulados o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), e o da legisladora municipal. 

Tribuna da Bahia

Deixar uma Resposta

Não serão autorizados comentários com palavras de teor ofensivo, como xingamentos, palavrões e sobretudo ofensas pessoais.